17/03/2017 às 08h52min - Atualizada em 17/03/2017 às 08h52min

Liberdade ou solidão, tranquilidade!

Num certo tempo da sua vida você curte amores complicados. Os bad boys do ensino médio sempre parecem uma boa ideia. Não importa o quanto esse romance tenha cara de filme teen americano. Se ele for do tipo que sua mãe não gosta, melhor ainda.
O tempo vai passando e o carinha, aquele da faculdade que é capitão do time, que se destaca no curso ou que dirige o carro do momento, pode ser agora a bola da vez. Se usar aquelas jaquetas com mangas de cor diferente e escudo de time na frente, melhor ainda.
Depois disso, você passa a querer o boyzinho baladeiro, aquele que está em todas. Que vai aos lugares mais cool. Que curte a música do momento e se veste com o que está bombando. Você olha diferente para o carinha de cabelo esquisito e tatuado. Com personalidade própria.
São muitas as fases em que nós mulheres nos apaixonamos. Entregamo-nos. Vibramos. Sofremos. Idealizamos uma relação, sonhamos com os pais dos nossos filhos ou com o príncipe encantado.
Talvez suas fases foram diferentes das minhas, sempre gostei do que parecia estranhamente errado. O difícil sempre me atraiu. Gosto de desafios. Mas uma coisa é fato, independente de quais foram as suas fases, elas existiram. Todo mundo tem.  E todo mundo também muda de fase.
O tempo passa, a vida muda, nossos objetivos não são mais aqueles de intensidade, a maturidade vai nos trazendo uma certa paz interior que a nossa juventude nem imaginava existir. Com o tempo você vai trocando a balada por um bom filme. Ou então a balada mesmo continua (eu adoro!!), mas o objetivo de estar na balada passa a ser um tanto egoísta, você está lá por você. Não importa o que os outros irão pensar, como você está dançando, se bebeu, fumou, dançou funk até o chão ou simplesmente ficou sentada numa mesa tomando uma tônica e observando a galera. O egoísmo passa a fazer parte dos nossos valores.
Essa tal maturidade tem um sabor bom, mais doce, sem necessidade de sofrência, de provar algo, de impor ideais. Passa a querer um amor tranquilo, fácil, pacifico... ou passa a não querer um amor. A liberdade de viver bem consigo mesmo não tem preço.
Você não espera mais aquela ligação, na verdade é até bom que não ligue, pois pode continuar o dia todo de pijama assistindo Gossip Girl sem ninguém reclamar.
Você não fica mais ansiosa pelo momento de alguém chegar, na verdade é bom que não chegue, afinal é domingo e não estou com vontade de lavar aquela louça.
Você não fica mais procurando o calendário de eventos do momento, é até bom poder ficar em casa vendo a Masha e o Urso e não ter de pensar em que roupa vou vestir.
Todas nós precisamos de uma dose de paz. Precisamos deixar de nos preocupar com as opiniões. Deixar de ser tão críticas e não julgar os livros pela capa. Precisamos reservar um tempinho na verdade para poder ler.
Tem uma frase cliché que diz assim, você chega em casa e senta sozinha no sofá com seu copo de café. Você quem decide se isso é solidão ou liberdade.
Ser responsável pelas suas escolhas, dona da sua liberdade. Isso não tem preço, se você ainda não descobriu o quanto a paz pode ser deliciosa, vou te dizer... deveria experimentar. Consulte o regulamento na fan page do Divas.
 
Link
Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp