08/06/2021 às 16h35min - Atualizada em 08/06/2021 às 16h35min

Vacinação contra gripe encerra 2ª etapa imunizando 43% a menos do que o necessário no Rio Grande do Sul

Última fase da campanha inicia nesta quarta-feira

A última etapa da campanha de vacinação contra a gripe, que começa nesta quarta-feira, inicia com a meta de superar a baixa procura por esta imunização. O Rio Grande do Sul deveria ter vacinado até o momento, considerando a primeira etapa, iniciada em 12 de abril e a segunda – destinada a pessoas acima dos 60 anos e professores –, 3.559.886 gaúchos.Mas a quantidade que receberam estas doses não passa de 1.548.271, o que corresponde a 43% do público-alvo.

Considerando que tanto a Covid-19 quanto a gripe são doenças respiratórias, é importante aumentar a cobertura vacinal para diminuir o risco de transmissão viral. “A pauta mundial é a Covid. As pessoas não foram estimuladas a serem vacinadas contra a gripe. Tivemos o Dia D no último sábado de maio, mas nós fomos atropelados pela vacinação dos professores (contra a Covid-19). Não fizemos 4 mil doses de vacinação naquele sábado, em 22 postos. Mas cada um poderia vacinar até 500 pessoas por dia”, lamenta Ritter.

Atualização 

A vacina contra gripe é atualizada anualmente. Ela protege contra três tipos de vírus influenza: H1N1, H3N2 e B. O RS tem que imunizar, até o final da campanha, em 9 de julho, 5.007.592 pessoas do grupo prioritário. Já o Brasil tem a meta de aplicar 79.744.770 doses.

Com a campanha, o Ministério da Saúde pretende reduzir as complicações, internações e a mortalidade causadas pelas infecções provocadas pelo vírus da influenza, especialmente nos grupos de risco. Com maior proteção, há menor sobrecarga nos serviços de saúde, e consequentemente menor circulação dos vírus. Porque quem precisar de internação por gripe, não disputará leito com quem estiver com Covid.

Com a terceira etapa, passam a ser contempladas com a vacina contra a gripe, pessoas com comorbidades, com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, portuários, forças de salvamento e segurança, forças armadas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade, além de adolescentes cumprindo medidas socioeducativas.

Vacina contra Covid-19

Mas como a campanha de vacinação acontece de forma simultânea com a da Covid-19, é importante lembrar que o tempo mínimo de intervalo entre a aplicação das duas imunizações seja de 14 dias. São necessários pelo menos 15 dias depois da aplicação para que a proteção seja garantida a proteção contra os vírus Influenza.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
RÁDIO DIFUSORA Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp