30/04/2021 às 18h19min - Atualizada em 30/04/2021 às 18h19min

Justiça marca audiência de conciliação sobre novo pedido de suspensão de aulas presenciais no RS

A coordenadora do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Porto Alegre, Dulce Ana Oppitz vai conduzir, na próxima segunda-feira, uma audiência de mediação e conciliação após a Justiça receber um novo pedido de suspensão do retorno presencial às aulas no Rio Grande do Sul. A ação é movida pelo Cpers-Sindicato, Associação de Mães e Pais pela Democracia (AMPD) e Federação dos Trabalhadores do Ensino Privado do Estado do Rio Grande do Sul (Fetee/Sul).

Além das partes autoras, representantes do governo do Estado, do Sindicato do Ensino Privado (Sinepe/RS) e do Sindicato dos Professores do Ensino Privado (Sinpro/RS) também vão participar da audiência, marcada para as 9h30min. Conforme a juíza, a expectativa é de que todos possam chegar a um consenso, mesmo com diferenças em relação aos interesses.

“Não como partes num processo, mas como interessados em uma questão que atinge toda a sociedade, direta ou indiretamente. Tenho plena confiança que todos vão aderir a este processo de mediação, na medida em que houver o reconhecimento do interesse público envolvido”, destacou a magistrada.

Volta às aulas 

Na última segunda-feira, a Justiça negou um recurso do Estado e vetou o retorno das aulas presenciais em território gaúcho. Durante sessão extraordinária, por três votos a zero, os magistrados entenderam que, com o Rio Grande do Sul em bandeira preta, classificação vigente até a data da decisão, a reabertura das escolas não era ainda oportuna.

Contudo, um dia após a decisão, o governo estadual alterou critérios de classificação e colocou todo o Rio Grande do Sul em bandeira vermelha, o que permite o retorno das aulas presenciais em todos os níveis.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp