23/07/2019 às 10h57min - Atualizada em 23/07/2019 às 10h57min

Cultura do Trigo em fase final de implantação na Região Celeiro

Emater/RS - Ascar
Foto: Diogo Zanata
O plantio na semana avançou dois pontos percentuais, alcançando 98% da estimativa inicial de 739,4 mil hectares. A maior parte da área a ser plantada encontra-se na regional de Caxias do Sul, especificamente no Corede Campos de Cima da Serra, cujo plantio se estende até 20 de agosto próximo, conforme zoneamento agrícola de risco climático.
A regionalda Emater/RS-Ascar de Ijuí (que responde por 30% da área complantio de trigo no Estado) engloba os Coredes Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, onde a cultura encontra-se em final de implantação, restando áreas nos municípios nos quais o zoneamento se estende até 20 de julho para cultivares tardias. A semana passada foi de clima favorável ao desenvolvimento da cultura, principalmente pelas temperaturas amenas, coincidindo com o estádio inicial do perfilhamento.
A elevação das temperaturas, em relação à semana anterior, favoreceu a aplicação de herbicidas e adubação nitrogenada. Constataram-se pequenos focos de lagartas nas primeiras lavouras implantadas no município de Ijuí. Verificou-se até o momento uma baixa incidência de doenças foliares. O plantio foi concluído na regional de Santa Rosa (27% da área de trigo no Estado), que engloba os Coredes Fronteira Noroeste e Missões.
 O tempo frio e seco das últimas duas semanas contribuiu para o bom desenvolvimento geral das lavouras na região. Naquelas semeadas no início do período recomendado pelo zoneamento, os produtores realizaram adubação de cobertura no começo da semana, mas causou certa frustração para parte dos produtores a ausência da chuva prevista para o último final de semana. Por outro lado, a manutenção da temperatura baixa favoreceu o perfilhamento e contribuiu para a redução das perdas por volatilização da adubação de cobertura.
Em lavouras da região, constatou-se a ocorrência de lagartas, sendo necessário o controle químico. Em algumas delas, houve necessidade de repeti-lo devido ao difícil manejo do inseto. Bons resultados foram obtidos com a associação entre um produto com ação de choque eum inseticida fisiológico. Na regional de Frederico Westphalen (14% da área no Estado), que corresponde aos Coredes Rio da Várzea e Médio Alto Uruguai, as plantas estão em desenvolvimento vegetativo e até o momento não ocorreu incidência de pragas e doenças. Parte das lavouras de trigo está na fase de perfilhamento, principalmente na costa do rio Uruguai.
 Os agricultores realizam aplicação de herbicidas para controle de azevém e aveia, além da aplicação de adubação em cobertura. Na semana o plantio continuou intenso, devido à boa umidade do solo. Até agora, 95,0% da área estimada em 103,48 mil hectares foi plantada. Na regional de Passo Fundo (6,5% da área com trigo no Estado), que engloba os Coredes Produção e Nordeste, o plantio foi finalizado na área de 49,83 mil hectares com a cultura.   
As lavouras em germinação e aquelas em desenvolvimento vegetativo, no geral, encontram-se em bom estado devido ao tempo frio e seco. Na regional de Santa Maria (5,5% da área no Estado), que corresponde os Coredes Central, Vale do Jaguari e Jacuí Centro, o plantio foi finalizado nos 40,7 mil hectares de trigo. As temperaturas baixas com dias ensolarados continuaram nesta semana e favoreceram o desenvolvimento da cultura, boa parte da qual está iniciando o perfilhamento. Muitos triticultores já realizam tratos culturais, controle de plantas invasoras e adubação de cobertura.
Na regional de Bagé(5,1% da área com trigo no Estado), que engloba os Coredes Campanha e Fronteira Oeste, o tempo frio e seco contribuiu para a quase conclusão do plantio, restando apenas algumas lavouras em Maçambara. Além disso, essas condições meteorológicas contribuíram para o bom desenvolvimento vegetativo das lavouras em São Borja, São Gabriel, Itaqui (responsáveis por 77,2% da área cultivada na região). Na regional de Caxias do Sul (4% da área no Estado), que engloba os Coredes Serra, Campos de Cima da Serra e Hortênsias, a semeadura avançou e atingiu 60% da área estimada em 30,1 mil hectares.
A umidade adequada do solo, boa luminosidade e a temperatura amena favoreceram a germinação e o desenvolvimento inicial das plantas. Os produtores que cultivam o cereal, especialmente nos Campos de Cima da Serra, utilizam tecnologia para altas produtividades, visto que se encontram numa das regiões mais aptas para o cultivo do trigo no Rio Grande do Sul.Neste Corede, destacam-se pela área cultivada os municípios de Muitos Capões (13 mil hectares), Vacaria (seis mil hectares), Esmeralda (2.500 hectares) e Campestre da Serra (1.500 hectares); juntos, correspondem a 76,6% daárea de trigo estimada para a região.Na regional de Erechim (3,3% da áreacom trigono Estado), que corresponde ao Corede Alto Uruguai, os produtores realizam aplicação de adubação de cobertura e controle de inços.
O destaque em área cultivada fica para Sertão (quatro mil hectares), Campinas do Sul (três mil hectares), Cruzaltense (dois mil hectares) e Ipiranga do Sul (1.800 hectares).Na regional de Soledade (3% da área no Estado), que engloba os Coredes Alto da Serra do Botucaraí e Vale do Rio Pardo, a alta radiação solar, as temperaturas frias e amenas predominantes nas duas últimas semanas, além de elevada umidade do solo, proporcionaram ao trigo um bom desenvolvimento vegetativo.
Os agricultores aproveitaram o período seco da semana para iniciar os tratos culturais de adubação em cobertura e o controle de plantas invasoras. Em algumas lavouras, foram realizados tratamentos fitossanitários preventivos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp