02/02/2023 às 19h50min - Atualizada em 02/02/2023 às 19h50min

Estiagem já levou quase metade das cidades gaúchas a decretar emergência

Número deve crescer enquanto persiste a falta de chuvas consistentes

Herval: Perdas por conta da estiagem já ultrapassam R$ 100 milhões | Foto: Mara Carvalho/Defesa Civil Municipal

Chega a 239 o número de prefeituras que notificaram declaração de emergência em razão da estiagem que afeta o Rio Grande do Sul. Alecrim, Engenho Velho, Ernestina, Santana da Boa Vista, Santo Ângelo e Três de Maio foram as últimas a entrar para a relação. O total equivale 48% das cidades gaúchas. Dessas, 223 tiveram o decreto recebido em Porto Alegre. Até o momento, o governo estadual homologou 125 documentações e o governo federal reconheceu 95. Na semana passada, a Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs) divulgou, reunindo dados de 123 cidades, prejuízo estimado em R$ 5,6 bilhões.

Em 2022, a falta de chuvas deixou 336 municípios na mesma situação. Enquanto a chuva não retorna de forma consistente, a tendência é de que o número de cidades em emergência siga aumentando. Em São Sebastião do Caí, por exemplo, a administração municipal debateu essa possibilidade, nesta quinta. O temor é de que produtores de milho e citricultores registrem perdas semelhantes às de 2020, quando o município pediu socorro externo pela última vez.

Na metade Sul, Herval, que entrou em emergência ainda em dezembro, se tornou a primeira cidade da região a receber verba da União em razão da estiagem em 2023. O Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional disponibilizou cerca de R$ 265 mil, embora o prejuízo estimado já chegue a R$ 100 milhões. Perto dali, o governo federal também já reconheceu os decretos de Arroio do Padre, Arroio Grande, Candiota, Canguçu, Cerrito, Pedras Altas, Pinheiro Machado, Piratini, São José do Norte e São Lourenço do Sul.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
RÁDIO DIFUSORA Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp