18/03/2022 às 13h50min - Atualizada em 18/03/2022 às 13h50min

Três Passos pretende incentivar construção de cisternas na zona rural

Assessoria de imprensa da Prefeitura de Três Passos RS
Conhecer as experiências de produtores que implantaram cisternas nas suas propriedades foi o objetivo das visitas empreendidas pelo prefeito, Arlei Tomazoni, juntamente com os técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura, Evandro Colombo e Marlon Schönhalz, no dia 17 de março, às localidades de Vista Alegre e Boa Vista da Romana, ambas no Distrito de Bela Vista. A intenção da Administração Municipal é criar um programa, que ainda está em formatação pela equipe técnica, que visa incentivar a construção de cisternas nos empreendimentos rurais. Segundo o prefeito, antes da escassez hídrica provocada pela estiagem, a atual gestão municipal já vinha planejando formas de resolver situações ocasionadas pela falta de água, sendo que o programa é uma solução encontrada para o consumo animal no interior do município.  “O programa está em fase de elaboração e por isso estamos indo conhecer onde as cisternas já estão em funcionamento para entender o processo”, pontuou Arlei.

A primeira cisterna escavada de Três Passos foi construída há 15 anos pelo produtor Milton Gehlen, na Boa Vista da Romana. Uma estrutura com canos galvanizados e lona de 0,80 mm, que apesar da ação do tempo, apresentam boa durabilidade e estão em perfeito estado. Conforme explica o produtor, a cisterna tem capacidade de armazenar 480 mil litros de água captados da chuva através de calhas, e tranquilamente atende toda a propriedade que tem um consumo diário de 10 a 12 mil litros/dia. Milton ressalta que construir uma cisterna não é difícil, que vale muito o investimento e que a manutenção do sistema, considerada por muitos como um empecilho para implantação, foi um processo aprimorado por ele nesses anos de experiência. Ainda, informa o produtor, a propriedade possui um poço artesiano de 140 metros que tem a capacidade de extrair 2 mil litros de água por hora. Na propriedade de Leori José Schmitt, na localidade de Vista Alegre, o filho Álvaro administra o negócio familiar há 5 anos, sendo a suinocultura a principal atividade, onde são produzidos 1.200 leitões na fase de terminação, os quais consomem diariamente 14 mil litros de água. O jovem explica que a água para consumo animal vem da cisterna implantada na propriedade há 11 anos, a qual tem 25m de comprimento, 6,70m de largura, profundidade de 4,75m e capacidade para armazenar 800 mil litros de água da chuva. Um investimento viável, segundo ele, pois é um recurso hídrico natural que provém de captação fluvial atendendo a demanda de consumo animal da propriedade a médio e longo prazo. “Com esta estiagem, foi a primeira vez em 11 anos que tivemos que repor água por meio mecânico”, acrescentando que “a nossa demanda na propriedade é atendida de forma tranquila e necessária quando há volume de chuva médio para nossa região”.

Dos pontos positivos da cisterna, Álvaro destaca além da sustentabilidade ambiental, a qualidade no tratamento da água consumida, potencial de consumo dos animais e disponibilidade imediata do uso da água, além da garantia de estoque, renovação e captação da água quando chove. Ele alerta que o material para construção da cisterna deve ser todo inoxidável ou galvanizado a fogo para evitar ferrugem e a área de captação deve ser observada, pois em sua propriedade, um dos fatores considerados negativos por ele, é que há apenas 100m de calhas, o que interfere na quantidade de água captada.

Os técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura, destacam que o tamanho da cisterna é dimensionado baseado na área do telhado do empreendimento, precipitação média anual e por último consumo dos animais.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
RÁDIO DIFUSORA Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp