03/11/2020 às 09h41min - Atualizada em 03/11/2020 às 09h41min

Plataforma Pix entrará em funcionamento

Estagiária Daiana Fernanda Hilgemann
 
O PIX é um sistema de pagamentos e transferências instantâneos disponível 24 horas por dia e sete dias por semana. É um meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro. O Pix pode ser realizado a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.
 
Para ter o Pix,  a primeira coisa a ser feita é criar a chave Pix, usando os canais de atendimento do banco ou instituição financeira em que você tem conta. Itaú, Bradesco, Santander, Caixa Econômica Federal e todas as instituições com mais de 500 mil clientes são obrigadas a oferecer a nova forma de pagamentos. Ao todo, segundo o BC, mais de 600 instituições estão autorizadas a fazer o cadastro. Então para criar a chave Pix, basta usar uma das quatro formas de identificação disponíveis: CPF/CNPJ, e-mail, número de telefone celular ou ainda a chave aleatória (endereço virtual de pagamento, o EVP). A última opção é a única forma de receber um Pix sem precisar informar seus dados pessoais. A chave aleatória funcionará como login e será um conjunto de números, letras e símbolos gerados de modo aleatório para identificar a conta de destino do dinheiro. O registro da chave deve ser feito em um dos canais de acesso (aplicativo ou site) da instituição onde o cliente tem conta. Para isso, é preciso confirmar a posse da chave e vincular à conta do Pix, ou seja, se identificar e comprovar que aquele e-mail, por exemplo, é de fato seu. 
 
Para prevenir golpes e fraudes, o BC destaca que não faz essas confirmações por ligações telefônicas nem por links enviados por SMS ou por e-mail. Não passe seus dados pessoais por telefone para cadastrar sua chave nem clique em links que prometem isso. O custo para quem quer ter a ferramenta funciona da seguinte forma; para o uso mais corriqueiro, envolvendo as transferências entre pessoas físicas e os pagamentos de pessoas físicas para empresas, o Pix será totalmente gratuito. E para microempreendedores individuais (MEIs), compras e transferências também serão gratuitas, mas as vendas com finalidade comercial, por exemplo, poderão ser tarifadas.
 
O intuito principal do aplicativo é aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos, o Pix tem o potencial de: Alavancar a competitividade e a eficiência do mercado. Baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes. Incentivar a eletrização do mercado de pagamentos de varejo. Promover a inclusão financeira. Preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população.
 
A oferta do aplicativo esta sendo feita desde o dia 5 de outubro, para empresas fazerem cadastros prévios, para receber pagamentos e transferências de uma forma muito mais prática. Depois disso, do dia 3 de novembro até o dia 15 de novembro, a plataforma do Pix ficará restrita, para averiguações internas do aplicativo.  E então, a partir de 16 de novembro é que o funcionamento aplicativo entra em vigor oficialmente, estando disponível para todas as pessoas e empresas que possuem uma conta em uma das 762 instituições aprovadas pelo Banco Central para ofertarem a novidade.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp