22/05/2018 às 15h44min - Atualizada em 22/05/2018 às 15h44min

Preço da gasolina comum varia de R$ 4,69 a R$ 4,89, em Três Passos

O preço do combustível está assustando o consumidor. Com reajustes diários nas refinarias, já atingiu R$ 5,06 o litro da gasolina comum em várias regiões.
Em Três Passos, esse valor (R$ 5,06) ainda é da compra a prazo . Segundo os proprietários dos postos de gasolina de Três Passos contatados, o aumento está sendo prejudicial para as vendas. Além disso, a alta do combustível refletiu em diversas situações, inclusive na redução de funcionários.
Não repasso os reajustes diários, que são de R$0,01 ou R$ 0,02, mas quando o reajuste vem acima desse valor é inevitável, pois em uma compra de R$ 75 mil litros perdemos muito! Se não repassar o valor, não conseguimos manter nosso estabelecimento. Nesse período, já tivemos que realizar demissões. –, comenta um dos proprietários.
Ainda, os proprietários salientam que a população está optando por alternativas de locomoção sem tanto custo, o que diminuiu a clientela.
Esse é o 11º reajuste na gasolina nos últimos 17 dias. Desde o final de abril o valor subiu R$0,30.
Os preços das gasolinas em Três Passos variam de:
Gasolina Comum – R$ R$ 4,69 | R$ 4,79 | R$ 4,84 | 4,89
Gasolina Aditivada – R$ 4,74 | R$ 4,88 | R$ 4,96 | R$ 4,90 | R$ 4,99
Diesel Comum – R$ 3,69 | R$ 3,79 | R$ 3,84 | R$ 3,55 | R$ 3,76  
Diesel S-10 – R$ 3,79 | R$ 3,86 | R$ 3,89 | R$ 3,92 | R$ 3,94
 
Petrobras anuncia redução do preço do diesel e da gasolina após sucessivas altas
Após uma sequência de reajustes praticamente diários, a Petrobras reduzirá os preços da gasolina em 2,08% e os do diesel em 1,54% nas refinarias a partir desta quarta-feira (23), em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.
Segundo informou a petroleira, o preço da gasolina nas refinarias cairá de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351.
A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e, também, do dólar. Somente na semana passada, foram 5 reajustes diários seguidos.
Na véspera, a estatal tinha anunciado um novo aumento nos preços do diesel e da gasolina, elevando os preços dos combustíveis para novas máximas dentro da política da estatal. Desde o início da nova sistemática de reajustes adotada pela Petrobras, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumulava aumento de 58,76% e o do diesel, de 59,32%, segundo o Valor Online.
Após uma sequência de reajustes praticamente diários, a Petrobras reduzirá os preços da gasolina em 2,08% e os do diesel em 1,54% nas refinarias a partir desta quarta-feira (23), em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.
Segundo informou a petroleira, o preço da gasolina nas refinarias cairá de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351.

Gasolina teve 12 altas só neste mês

Em maio, já foram anunciadas 10 altas e 5 quedas no preço do litro do diesel. No caso da gasolina foram 12 altas, 2 quedas e uma estabilidade. A última queda no preço da gasolina nas refinarias tinha ocorrido em 3 de maio. Na ocasião, o valor do litro da refinaria foi reduzido em 0,99%, de R$ 1,8072 para R$ 1,7893. No caso do diesel, a última redução ocorreu no dia 12 de maio, quando o preço passou de R$ 2,2361 para R$ 2,2162, queda de 0,88%.

Governo discute alta dos preços
O governo marcou uma reunião nesta terça-feira para discutir a alta dos combustíveis. Participam do encontro os ministros Eduardo Guardia (Fazenda) e Moreira Franco (Minas e Energia) e o presidente da Petrobras, Pedro Parente.
Na saída do encontro, Parente disse que a política de reajustes dos preços de combustíveis da empresa não será alterada.
"Na abertura da reunião, foi logo esclarecido que de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na politica de preços da Petrobras. Porque é reconhecida que é uma consequência dos preços internacionais e do câmbio. Portanto, não houve discussão em relação a política de preços da Petrobras, que está exatamente como estava antes: sem qualquer mudança", disse ele.
Na segunda-feira (21), caminhoneiros pararam o trânsito em rodovias de 20 estados e no DF contra a escalada de aumentos dos combustíveis e nesta terça-feira novos protestos são registrados no país.

Impacto no preço cobrado nos postos
A decisão de repassar o aumento do valor do combustível cobrado nas refinarias para o consumidor final é dos postos de combustíveis.
Em comunicado divulgado na sexta-feira (18), a Petrobras voltou a justificar os reajustes diários, afirmando que os combustíveis derivados de petróleo são commodities, que os o preços estão "atrelados aos mercados internacionais".
Nesta segunda-feira, o barril de petróleo no EUA atingiu o maior valor desde novembro de 2014, e encerrou a US$ 72,24, sustentado por uma forte demanda global e um acordo de corte de oferta entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a Rússia e outros países não-membros.
Na semana passada, o preço médio da gasolina nos postos do país atingiu novas máximas no ano, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O preço médio do litro de gasolina para os consumidores ficou em R$ 4,284, ante R$ 4,257 na semana anterior. Com o novo aumento, a gasolina acumula alta de 4,51% desde o início do ano. Desde julho do ano passado, a alta é de mais de 22%.
O valor do diesel também terminou a semana em alta. Segundo a ANP, o valor médio por litro passou para R$ 3,595, acumulando avanço de 8% no ano e de 21,5% desde julho do ano passado.
Em sua defesa, a Petrobras afirma "não tem o poder de formar" os preços praticados nos postos de combustíveis e que a mudança no preço final dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis.
O preço final é composto basicamente por 4 parcelas: realização do produtor ou importador, custo do etanol anidro, tributos (ICMS, PIS/PAsep e Cofins, e CIDE), e margens de distribuição e revenda.

Segundo a Petrobras, no período entre 6 e 12 de maio, o preço da gasolina comum para os consumidores foi formado pela seguinte proporção: 32% realização da Petrobras, incluindo custos e lucro, 29% impostos estaduais (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS), 16% impostos da União (Cide, PIS/Pasep e Cofins), 11% do etanol adicionado à gasolina e 12% se refere à distribuição e revenda.

*Com informações G1

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp