05/04/2017 às 08h42min - Atualizada em 05/04/2017 às 08h42min

Advogado contratado pela família da mãe do menino Bernardo espera que o local do julgamento não seja Três Passos

Carlos Grün - Jornal Atos e Fatos
Durante todo o dia de ontem (terça-feira 04/04/17), data em que completou três anos da morte de Bernardo Uglione Boldrini, diversas pessoas estiveram em frente a casa onde ele morava com o Pai Leandro Boldrini e a madrasta Graciele no centro da cidade de Três Passos na rua Gaspar Silveira Martins. Por volta das 18h40min ocorreu uma grande corrente de orações e pedidos de Justiça, já que a data do Júri popular ainda não foi definida.
 
Homenagem a Bernardo ocorreu em Santa Maria e avó não compareceu
 
A missa realizada para lembrar os três anos da morte do menino Bernardo Boldrini, realizada nesta terça-feira em Santa Maria, não teve a presença da avó. A celebração ocorreu na Igreja de Fátima. Jussara Uglione, de 74 anos, não pode comparecer por conta de problemas de saúde. Debilitada, ela recebeu recomendação médica de não participar da homenagem.
 
O advogado contratado pela família da mãe do menino morto, Marlon Adriano Taborda, reconhece que o processo ganhou mais agilidade.”Esperamos que a data do julgamento seja definida o mais breve possível”, acrescentou. Ele disse esperar que o local do julgamento não seja Três Passos, cidade onde Bernardo vivia, “em virtude do lado emocional e a relação dos acusados do crime com a comunidade”.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp